Manutenção em válvula de controle!

manutencao-em-valvula-de-controle

Manutenção em válvula de controle!

Você trabalha com manutenção de válvula de controle? Então, eu trabalhei durante algum tempo e aprendi bastante sobre calibração e diagnóstico. Eu sempre digo que válvulas e analítica são áreas completamente específicas na área de automação industrial.



Você já teve alguma experiência trabalhando com válvula de controle? Deixe seu comentário abaixo.

Válvula de controle
Quando a válvula não passa no teste de vedação e você precisa refazer o serviço.

Veja Livros e itens de automação na Amazon Brasil:

Mande sua história via redes sociais! As melhores serão transformadas em cartoon e publicadas aqui no Blog – citando seu nome, claro!  Que tal fazer parte do Automação & Cartoons? ? 

2 Comentários

Fabrício Andrade

Tenho 10 anos de experiência no mundo da Automação industrial, comecei minha carreira na JAT Instrumentação, depois trabalhei na Emerson Automation Solutions e Endress+Hauser. Tive a chance de implementar projetos, ministrar treinamentos e resolver problemas em diversas empresas no Brasil e Latina América. Hoje, moro e trabalho na Alemanha desenvolvendo uma plataforma digital para mundo da Automação industrial. Além disso, sou cartunista e baterista nas minhas horas de folga.

2 Comentários

  1. Jorge Sacramento
    novembro 5, 2017 em 11:17 pm

    Manutenção em válvula de controle!
    Fala Fabrício,
    Certa vez estávamos participando de uma parada geral para manutenção de válvulas de controle, eram aproximadamente umas 30 válvulas. Tínhamos a missão de desmontar da linha, levar para o site da nossa empresa, fazer a manutenção completa da válvula e remontá-las na linha de processo do cliente, além da parte de caldeiraria também fazíamos as ligações dos sinais elétricos / controle. E aí se foi, com uma equipe especializada e depois de todas as válvulas estarem em nosso site, começou nossa linha de produção. Uma equipa fazia as marcações das válvulas para desmontagem completa: atuador, castelo, corpo, sede, obturador e etc…Depois as partes passavam pelo processo de rejuvenescimento até retornarem para a “linha de montagem” e logo depois as devidas calibrações dos posicionadores.
    Após todas as válvulas concluídas, fomos para a fase de montagem no site do cliente. E monta uma, duas, três, faz loop teste e depois libera…enfim lá pras tantas, após terminar de montar uma válvula na linha de processo, fomos executar a ligação elétrica do sinal de controle do posicionador. Aí é que vem a “graça”, o conduíte elétrico do sinal de controle não chegava na entrada de sinais do posicionador (Conversor I/P), não tinha comprimento suficiente, e puxa daqui e puxa dali e nem perto chegava ( Ué será que o cabo encolheu???). Foi quando tivemos a grande ideia de confirmar as marcações da válvula, aquelas que foram feitas lá no ato da desmontagem, e procura marca de punção entre o corpo e o castelo da válvula e percebesse que a montagem entre o corpo e o castelo havia sofrido uma defasagem de 180°, fazendo com que o posicionador ficasse montado do lado invertido e consequentemente o conduíte não tinha cumprimento para chegar até a entrada elétrica do posicionado.
    Nessa hora o nosso amigo estagiário, tira um coelho da cartola: “ – Poxa rapaziada, é só a gente desmontar a válvula da linha e dar um giro nela de 180°”…..Aí foi demais né, além de ter que desmontar a válvula da linha, ele estava com vontade de inverter o sentido de fluxo da válvula. É melhor rir do que chorar.
    Passada as aventuras e experiências o rapaz se tornou um excelente profissional.
    Abraços!!!
    By Sacramento.

    • admin
      Anônimo
      novembro 7, 2017 em 2:29 pm

      Hhahahha Muito boa história Sacramento.
      Estou coletando histórias do leitores e vou desenhar todas citando quem mandou no cartoon.

      Muito obrigado por compartilhar e se possível compartilha para dar aquela força
      Abraços.
      Fabrício

Resposta para seu comentário

Seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados!*