Comprando sistema de internet das coisas

comprando-sistema-de-internet-das-coisas

Comprando sistema de internet das coisas

O IIoT (Industrial Internet of Things) e Indústria 4.0 são os assuntos mais discutidos atualmente.

Você pode encontrar vários artigos técnicos e vídeos falando sobre soluções revolucionárias e como elas podem mudar o dia a dia das indústrias, levando tudo para outro patamar.



Um fator deixado de lado é que a realidade no campo é bem diferente.

Além do fato de que tais soluções não são tão transparentes quanto parecem ser.

Internet das coisas no mercado automação industrial

Você sabia que o chamado IIoT não é a denominação comum entres os fabricantes?

Sim, existem fabricantes puxando nomes diferentes, pois tais empresas querem ser responsáveis por criar essa “Buzzword”.

A Cisco tem sua própria denominação, conhecida como Internet of Everything, no mesmo caminho nós temos a GE com Industrial Internet, a IBM com Smarter Planet e a Microsoft com Internet of your things.

No final do dia, mesmo com nome diferente, as ideias das soluções são identificas.

Onde equipamentos estarão enviando muito mais do que medições de processo para plataformas na nuvem ou não.

No Brasil, a GE fez uma campanha sensacional para divulgação da Internet industrial.

Essa campanha aconteceu no maior podcast do Brasil, o NerdCast do Jovem Nerd. O podcast fala diretamente com a nova geração.

Eu recomendo escutar o NerdCast com GE, você pode achar aqui.

Além disso, eles fizeram videos com o canal Nerdologia para explicar várias coisas inclusive, o industrial internet.

Tomei a liberdade de separar algumas soluções de IIoT para automação industrial que já estão no mercado. Dessa forma você pode começar a ter um melhor entendimento da tecnologia e também ver que os approaches das empresas são completamente diferentes.

Solução de IIoT da Emerson Automation Solutions

Em 2016, a empresa Emerson Automation Solutions durante seu evento Emerson Exchange nos EUA, apresentou seu pacote de solução internet das coisas.

Eu escrevi em detalhes sobre essa solução, no site Visaya e você pode ler aqui.

Resolvi fazer uma revisão da solução internet das coisas industrial da empresa aqui, para público brasileiro ter um maior conhecimento do que cada empresa tem trazido para mercado. Além da interpretação de cada empresa com relação ao que é IIoT.

Primeiramente, eles tem três formas de implementação das soluções, denominadas como tradicional, híbrida e baseada em resultados.

Todas essas opções tem três níveis.

O primeira é o nível de visualização com sensores, segundo nível é o da decisão com DCS e Apps e o terceiro nível é o de atuação onde ter serviço envolvido.

  • Solução tradicional: Essa solução traz os instrumentos wireless no campo, todas informaçõe são enviadas para gateway e a gateway conversa com sistema de controle. No terceiro nível toda ação e análise é feita pelo engenheiros e técnicos da planta.
  • Solução híbrida: Toda instrumentação no campo é preferencialmente wireless e as informações são enviada para uma plataforma de aplicação da Emerson. No terceiro nível o cliente pode fazer a análise por ele mesmo ou contratar serviço de terceiro para essa análise.
  • Solução baseada em resultados: Toda instrumentação também é preferencialmente wireless, os dados são implementados na plataforma de aplicações Emerson e no terceiro nível os sinais são enviados para Emerson, onde especialista faz análise remota da aplicação, enviando relatórios para o cliente.

Solução da Emerson Automation Solutions

As soluções da Emerson Automation Solutions são focadas em performance da planta.



Eles dividiram em 4 pontos, processo, confiabilidade, energia e HSSE (Health,Safety,Security and Environment).

Dentro destas soluções, você encontra aplicações que podem ter auto-performance ou serviço remote IIoT, você pode ver a lista abaixo:

  • Equipamento rotativo de grande porte (Confiabilidade)
  • Steam tramps (Confiabilidade, Energia)
  • Equipamento de Automação (DCS) (Confiabilidade)
  • Válvulas de Controle (Processo, Confiabilidade)
  • Bombas (Confiabilidade)
  • Trocadores de calor (Processo, Confiabilidade)
  • Torres de resfriamento (Processo)
  • Chuveiros de segurança (HSSE)
  • Equipamentos de alívio de pressão – Segurança (HSSE,Processo)
  • Gerenciamento de energia (Energia)
  • Medição de Massa/ Monitoramento de custódia (Processo)
  • Detecção de vazamento (HSSE)
  • Monitoramento de poços (Processo,Confiabilidade)

Solução IIoT em conjunto: Endress+Hauser, Pepperl+Fuchs, Samson, Hilscher e SAP

Em junho de 2017, durante a German Digital Summit a empresa BASF apresentou um projeto IIoT.

Uma parceria entre grande empresa de automação, como Endress+Hauser, Pepperl+Fuchs, Samson, Hilscher e SAP.

Cada empresa traz uma especialidade para essa solução e a Hilscher concentra todos os dados em uma gateway IoT para fazer conexão com a SAP HANA cloud Platform.

  • Endress+Hauser: Com seu diagnóstico avançado nos medidores de vazão, a empresa traz o Heartbeat Technology para levar todos informações de diagnósticos dos medidores Coriolis.
  • Samson: Utilizando um posicionador inteligente, a Samson enviada as informações de diagnósticos e performance da válvula de controle e do posicionador. Além disso, é possível rodar testes específicos remotamente para levantar informações como a assinatura de válvula, podendo ser interpretada por um especialista.
  • Pepperl+Fuchs: A empresa é responsável em fazer a coleta de todas essas informações no campo, utilizando o protocolo de comunicação WirelessHART.
  • Hilscher: Com sua gateway Internet das coisas conectada a solução Cloud, a gateway coleta todas informações da gateway WirelessHART da P+F enviando os dados para que sejam analisados nuvem.
  • SAP: Coleta informações e utiliza uma plataforma baseado em internet para mostrar as informações dos instrumentos no campo.

Existem outras soluções de IIoT no mercado, as soluções citadas servem como referência para entender o que temos como opção no mercado.

Você lembra do PAM (Plant Asset Management)?

A solução PAM serve para fazer o acesso remoto e configuração, essa solução funciona muito bem, além de existirem diversas interfaces para fazer a conexão do processo com a estação de manutenção.

Apesar disso, quando o assunto evolui para um monitoramento constante dos equipamentos – o famoso condition monitoring – muitos poréns surgem.

O tal condition monitoring vai depender dos equipamentos da planta, como também do protocolo que está sendo utilizado.

O que pode acontecer com Condition Monitoring?

Caso o seu sistema seja A e no campo tem fabricantes A, B, C e D o sistema vai ler 100% das informações dos instrumentos A e B.

Os instrumentos C e D terão diagnósticos limitados, mesmo você tendo acesso aos DD’s (Device Descriptions) ou DTM (Device Type Managers).

Isso acontece pois, o condition monitoring roda com arquivos diferentes, onde nem sempre você encontrará tais arquivos para todos fabricantes, além de depender do tipo de protocolo implementado no campo.

Na era da internet das coisas ainda existem muitas soluções fechadas. Onde é requerido ter equipamentos daquele fabricante, caso contrário nada funcionará adequadamente.

Minha opinião sobre o assunto.

No meu ponto de vista, um conceito bem inteligente para resolver esse problema é utilizar IIoT como serviço, onde você vende a solução perante um contrato.

Este serviço faz com que você implemente produtos apenas de um fabricante e os seus especialistas serão responsáveis em fazer a verificação do sistema, enviando relatórios constantes para o cliente.

Se o cliente não enxergar valor na prestação do serviço para uma renovação, a empresa remove toda solução e segue para o próximo desafio.

Até agora as soluções que tenho visto de internet das coisas industrial, nada mais são do que soluções antigas com nomes mais atraentes. As verdadeiras soluções inovadoras estão funcionando… mas apenas nos slides dos fabricantes.



O que você acha dessa nossa solução? Realidade ou apenas um novo nome para soluções antigas?

Deixe seu comentário!

Mande sua história via redes sociais! As melhores serão transformadas em cartoon e publicadas aqui no Blog – citando seu nome, claro!  Que tal fazer parte do Automação & Cartoons? ?

3 Comentários

Fabrício Andrade

Tenho 10 anos de experiência no mundo da Automação industrial, comecei minha carreira na JAT Instrumentação, depois trabalhei na Emerson Automation Solutions e Endress+Hauser. Tive a chance de implementar projetos, ministrar treinamentos e resolver problemas em diversas empresas no Brasil e Latina América. Hoje, moro e trabalho na Alemanha desenvolvendo uma plataforma digital para mundo da Automação industrial. Além disso, sou cartunista e baterista nas minhas horas de folga.

3 Comentários

  1. Urai
    outubro 27, 2017 em 3:30 am

    Muito bom. Atualiza o Instagram. Irei mais vezes por lá.

    • admin
      Anônimo
      outubro 27, 2017 em 10:28 am

      Obrigado, será atualizado estamos alinhando tudo! Mas logo terá bastante conteúdo lá tbm.

  2. Tarcisio
    novembro 7, 2017 em 5:42 pm

    Primeiro artigo sensato e contemporâneo a realidade de da indústria que vejo sobre IOT. Como falar em indústria 4.0 se as fábricas que teem automação não possuem uma malha de PiD que funcione corretamente.

Resposta para seu comentário

Seu email não será publicado. Os campos requeridos estão marcados!*